sexta-feira, julho 21, 2006

30) A internacionalizacao da campanha presidencial...

Parece que a campanha eleitoral vai explorar o "lado internacional" do presidente atual.
Vejam a materia abaixo...

"PT começa a definir programas de TV
Paulo de Tarso Lyra
Jornal Valor Econômico, 21/07/2006, pág. A7

O PT aposta no início do horário eleitoral gratuito para superar as dificuldades que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva enfrenta para conciliar a agenda de campanha com as atividades da Presidência da República. De acordo com o governador do Acre, Jorge Viana, a corrida eleitoral começará de fato a partir de agosto. "Por enquanto, Lula está extremamente cuidadoso, não quer arrumar complicações junto ao Tribunal Superior Eleitoral". Segundo ele, as propagandas no rádio e televisão terão "a cara do presidente Lula". Nas palavras do petista, um "presidente próximo ao povo, disposto a ampliar as políticas de inclusão social e as plataformas para manter o desenvolvimento e o crescimento econômico".

Ontem, Lula foi pela primeira vez ao estúdio da produtora onde serão gravados os programas da campanha, localizado no Lago Sul, bairro nobre de Brasília. O espaço foi arrendado pela Pólis Propaganda e Imagem, de propriedade do publicitário João Santana, junto à produtora brasiliense TV Mais. Segundo assessores, o presidente, que permaneceu no local das 9h15 às 11h45, não chegou a gravar trechos longos para o horário político. "Foi mais uma ambientação, para o presidente acostumar-se com o estúdio e a iluminação", explicou um assessor.

As equipes de filmagens da propaganda eleitoral seguem com Lula neste fim de semana, na viagem que o presidente fará para o Recife e Olinda. Viana confirmou que o procedimento deve se repetir nas viagens internacionais de Lula, além de resgatar imagens de antigos encontros do presidente brasileiro com líderes mundiais. "A relação de Lula com o mundo dá de dez a zero na relação estabelecida pelos demais candidatos. Quem é Geraldo Alckmin no cenário internacional? Quem é Heloísa Helena no cenário mundial?"

Tudo isso poderá, na avaliação do petista, compensar o fato de Lula ser um presidente que enfrenta concorrentes com a agenda livre para fazer campanha. "O que o Alckmin faz o dia todo? Nada. O que a Heloísa Helena faz? Nada. Lula tem que governar e tirar do caminho as pedras colocadas pela oposição, como a necessidade de vetar a inclusão do FGTS na medida provisória das empregadas domésticas", exemplificou Jorge Viana.

Essa dificuldade de conciliar as duas agendas foi exposta pelo próprio Lula durante encontro com prefeitos que apóiam sua reeleição, realizado na noite de quarta, em um hotel de Brasília. Na reunião, que durou aproximadamente uma hora, Lula lamentou: "É muito difícil administrar o Brasil e fazer campanha. É difícil. Mas tenham certeza que não hesitarei nas minhas tarefas. Não vou, de forma alguma, deixar de cumprir minhas funções administrativas", assegurou Lula, segundo disse o prefeito de Manaus, Serafim Correia (PSB).

No encontro, o presidente Lula expôs diversas ações de seu governo, sobretudo no campo social: números do PNAD, política de redução da pobreza, programas sociais. "Em todos eles, o presidente estabeleceu comparações com os seus antecessores. Não citou Fernando Henrique Cardoso, mas sempre dizia: fizemos isso em quatro anos, muito mais do que eles fizeram em oito " , relatou o prefeito de Manaus.

Serafim afirmou, também, que um dos momentos mais marcantes do encontro foi quando a prefeita de São Gonçalo (RJ), Maria Aparecida Paissinet, filiada ao PFL, deu seu depoimento. "O senhor foi o primeiro presidente a pisar em São Gonçalo e nunca me discriminou por eu ser de um partido de oposição", teria dito ela, de acordo com Serafim. O prefeito de Guarulhos, Elói Pietá (PT), disse que, além de um encontro ampliado com outros prefeitos para declarar apoio a Lula, a estratégia é aproveitar a visita do presidente aos Estados para organizar eventos reunindo os administradores municipais. "Há prefeitos que não têm condições de viajar a Brasília ou outra cidade para participar de eventos. Por isso, esperamos aproveitar as viagens do presidente para reunir os prefeitos em suas respectivas regiões".

Na noite de quarta-feira, após o encontro com os prefeitos, Lula teve a primeira reunião com os coordenadores regionais de sua campanha. Segundo Jorge Viana, a estratégia é concentrar as ações em regiões onde Lula não está tão bem nas pesquisas, como o Sul e Sudeste. "O que não quer dizer que faremos corpo mole nas demais regiões", assegurou o governador do Acre."

====================

Dois outros exemplos de internacionalização (ainda que pelas vias erradas) da campanha, retirados do ex-Blog do Cesar Maia (de 21 de julho de 2006):

Ô CELSO AMORIM ! Ô IMPRENSA ESCRITA, FALADA, TELEVISADA E INTERNETIZADA !
Em 24 de julho de 1998, durante a conferência de cúpula de Ushuaia (Argentina), o Mercosul aprovou a chamada “cláusula democrática”, como condição para que um país seja membro ou parceiro comercial do bloco. Isso impediu, por exemplo, um par de golpes de estado no Paraguai, bem como concorreu para que em um dos Estados associados, a Bolívia, os Chefes de Estado fossem afastados do poder por iniciativas constitucionais. A presença de Fidel Castro na reunião de Córdoba e as tentativas de Hugo Chaves para associar Cuba ao bloco, com as simpatias de Lula (“Mercosul não deve ter ideologia”), representam a implosão daquela importante cláusula. E ninguém disse nada...

URGENTE !
Ô equipe do Alckmin ! Ainda há tempo ! Contratem produtora de TV em Córdoba, e peguem os afagos e carinhos e intimidades de Lula com Fidel, Chávez e Morales ! Todos ! Vai dar imagens ótimas para a campanha ! Calderón neles !

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home