quarta-feira, agosto 16, 2006

49) PT não quer que se fale de mensaleiros...

Do blog do Noblat:
Investida estapafúrdia
16/08/2006 ¦ 09:00

Conforme noticiado pela imprensa ontem, o PT de São Paulo entrou com notícia crime contra a Transparência Brasil por esta manter, na Internet e em outros veículos de comunicação, a campanha “Não vote em mensaleiro” (e sanguessugas, piranhas etc.).
Alega o PT que a campanha teria objetivo eleitoralmente prejudicial a seus próprios candidatos.
O trecho acima é do artigo quinzenal de Claudio Weber Abramo, diretor da ONG Transparência Brasil. Está postado na seção aí ao lado chamada Artigos. Leia aqui

16/08/2006
Investida estapafúrdia
Claudio Weber Abramo

Conforme noticiado pela imprensa ontem, o PT de São Paulo entrou com notícia crime contra a Transparência Brasil por esta manter, na Internet e em outros veículos de comunicação, a campanha “Não vote em mensaleiro” (e sanguessugas, piranhas etc.).
Alega o PT que a campanha teria objetivo eleitoralmente prejudicial a seus próprios candidatos.
Curioso o esperneio do PT. A campanha exorta o eleitor a evitar votar em pessoas indiciadas criminalmente na Justiça. Trata-se de uma opinião expressa a respeito de melhor deveria o eleitor comportar-se na eleição que se aproxima. O PT-SP acha que dizer isso constitutiria crime eleitoral.
Como o ministro Marco Aurélio de Mello declarou exatamente a mesma coisa anteontem a respeito dos parlamentares envolvidos em escândalos (“não são dignos de respeito e muito menos de voto"), deve-se imaginar que o PT-SP entrará com notícia crime também contra o ministro.
Não só surpreende que o PT paulista imagine que possa coibir a livre manifestação do pensamento a respeito da eleição (a campanha nçao acusa ninguém de nada), mas também que se arvore em defensor de uma turma de gente que pegou dinheiro na boca do caixa do valerioduto, que desviou recursos no caso das ambulâncias, que se apropriou de salários de funcionários de gabinete, que cometeu uma série de crimes que percorre o código penal.
Esses indivíduos são indiciados na Justiça por tais crimes. Salta à vista que não vale a pena votar neles. Se, depois de transitado em julgado, a cupla dessas pessoas não for provada, então poderão eles apresentar-se ao eleitorado e buscar seu voto.
Como os partidos que os abrigam não tomam a medida profiláxica de negar-lhes legenda, resta ao eleitor puni-los com a rejeição do voto.
É isso o que a Transparência Brasil advoga, no âmbito de sua campanha “Não vote em mensaleiro”. É espantoso que o PT de São Paulo pretenda suprimir a expressão dessa opinião por meio da estapafúrdia investida judicial que está patrocinando.

15 visitas por segundo
Mudando de assunto, o projeto Excelências, da Transparência Brasil (perfil.transparencia.org.br), está experimentando uma visitação média de 15 consultas por segundo durante os últimos dez dias.
O projeto corresponde a um cadastro de todos os candidatos à reeleição à Câmara dos Deputados, e mais ex-ministros, ex-prefeitos de capitais etc. que buscam eleição àquela Casa.
São cobertos candidatos de todos os estados e de todos os partidos, e as informações prestadas são todas de domínio público. Incluem os processos judiciais a que respondem.
O projeto tem o intuito de propiciar ao eleitor uma comparação direta entre os desempenhos desses candidatos, para assim melhor se orientar quanto ao voto.


Visite e divulgue.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home